Onde todos podem uivar o que quiserem... vejam por mim!

05
Out 04

Não é preciso ser nenhum génio quando se chega á conclusão que quem atende às mesas raramente gosta do que faz. Aquilo é apenas um biscate, um part time, ou um intervalo entre algo bom e uma coisa melhor. Ninguém também o nega que é um trabalho chato... porque atender pessoas, cada uma com os seus gostos e manias muito individuais não é de todo fácil. E as horas...horas e horas de pé, a andar de um lado para o outro...enfim. Como vêem não há muita coisa boa. No entanto há quem diga que esta é uma excelente forma de engate...não sei, nunca experimentei.


O que eu sei é que ser atendido pro alguém no Cup & Cino é normalmente uma verdadeira luta. Para quem não sabe o que é isto, é um  franchising de um café/bar com muito estilo, boa música- por vezes um bocadito alta- e com gente interessante... normalmente.


Só tem um senão: quem atende ás mesas. Ou então eu tenho muito azar.


Passo assim a contar os loucos que trabalham nestes locais segundo a localização na cidade.


1- Marquês do Pombal: um brasileiro com memória de peixe, que raramente trás o que lhe é pedido e que por vezes chega a aparecer na mesa com coisas das quais não temos a menor noção para quem são. Év verdade que é simpático, mas isso não chega! Ou então um psicopata, que até pega nos nosso pertences, se for um livro até lê a contra capa, faz observações sobre tudo e todos, e tem aquele olhar que só se vê nos filmes quando o assassino está pronto para matar a vítima.


2- Telheiras: Já se sentiram os homens ou mulheres invisíveis? Não? Vão a este Cup & Cino. Percebem logo o que quero dizer. Mesmo que sejam o único cliente no espaço ninguém, mas mesmo ninguém vos vai ligar nenhuma. E quando vão à mesa, depois de 15 minutos de esbracejamentos, chegam até a suspirar.


3- Saldanha: Não é o pior, mas tem um personagem muito estranho que acha que somos porcos de engorda. Cada vez que acabamos o pedido diz: Só? Não quer mesmo mais nada? Veja lá? E quando pedimos a conta o mesmo... não entendo este interesse desmesurado em fazer de nós animais de engorda


. 4- Parque das Nações: A louca. Ela rir, pula, dança, mete-se com toda a gente e depois...não trás o pedido. É assim simples. Um charme diferente,que inicialmente se acha piada, mas que depois de 1 hora já não é tão engraçado assim. Há claro também a hipótese de o registar e ele nunca chegar à mesa e quando ao fim de 30/40 minutos reclamamos tentando perceber o que aconteceu, da gerência, com ar indignado nos dizem que o pedido só foi feito à 5 ou 6 minutos e que não percebem porque estamos a reclamar... não há mesmo paciência.


Sim...então porque é que continuo a ir lá. Não sei,. Boa pergunta. Mas como o sítio é engraçado, a comida é boa... é melhor do que metade dos cafés de Lisboa...Salvo claro, o belo do atendimento.

publicado por Psyhawk às 11:15

2 comentários:
Algumas dessas "peripécias" tb se passaram comigo. Ainda n tive encontros com o psicopata, como tu lhe chamas, mas realmente o atendimento é para esquecer. E a música nem sempre é assim tão agradável aos meus ouvidos. Acho que só se aproveita mesmo o espaço e é uma pena que o mais importante pareça n ser valorizado pelos donos ou gerentes ou o que quer q sejam. Mas tb, aquilo tá sp cheio, n é? E eu estou a refilar mas tb tenho sido cliente com alguma regularidade. Devo ser masoquistaHá quem goste
</a>
(mailto:anasmonteiro@zmail.pt)
Anónimo a 6 de Outubro de 2004 às 16:25

Depois da aventura deste Domingo temos medo! o Cup&Cino do Parque das Nações está banido da minha lista para sempre. Incompetência total e ainda atiram com as culpas para os clientes. Só neste país!mandras
</a>
(mailto:mandras@iol.pt)
Anónimo a 6 de Outubro de 2004 às 15:08