Onde todos podem uivar o que quiserem... vejam por mim!

10
Mai 04
É absolutamente estranho, quase intoxicante, quando percorremos na nossa memória o nosso dia, e não vemos nada de extraordinário nas vinte e quatro horas que acabram de passar. Como se nada tivesse marcado aquele dia... como se nem tivessemos estado presentes naquele momento. Abanamos a cabeça... que disparate! Mas continuamos a recuar no tempo, mais um bocadinho e perseguimos um caminho ainda vazio, onde nada se acha, e onde o relevo é nulo. Não há nada que tenha provocado excitação, explosão, ou um simples agoniar... tudo o que vemos são apenas acontecimantos. Coisas quase sem importância que embora nos tenham feito rir, chorar ou falar, não representam nada quando analisadas bem ao microscópio. São apenas pintas que preenchem o vazio, sem cor...

Será que não sou importante? Que a minha vida é assim tão desiteressante...
E é então que algo acontece... um vazio apodera-se de nós fecha-se prendendo-nos numa análise sem fim do que é a nossa vida. E tudo piora quando a lente de aumentar é trazida até ao microscópio da análise levando-nos a recuar dias, meses e anos no nosso tempo, fazendo-nos ver que tudo o que fizemos não passaram de meros fios de uma longa teia de aranha sem centro ou forma, onde poucas ou nenhuma presas cairam de forma a fazer mossa, e onde poucas vezes se sentiu a reverberação do significado vida.

Será que é aqui que me devo questionar qual é assim, o significado da vida? O meu significado? E interrogar-me para onde vou? Ou deixar que a corrente, mais uma vez me leve? Deverei simplesmente deixar de pensar no aspecto quase vazio da vida e aproveitar os bons momentos? Ou então marcar a diferença?

Quem sou eu? Para onde vou? Que faço aqui?
Parecem ser questões idiotas, que um qualquer filósofo lançou para a rua de forma a que um dia, nos enchessem o juízo durante longas e chatas aulas de filosofia... e para as quais nunca nos deram resposta... apenas disseram: Um dias vais encontrá-las...

Mas onde estão? Porque não acho respostas? Porque continuo a sentir que falta qualquer coisa? Será assim até ao fim da vida?

O escuro e a noite trazem perguntas para as quais não acho respostas. Apenas mais perguntas. E mais vazio....


publicado por Psyhawk às 22:55

1 comentário:
As pintas que preenchem o vazio só fazem sentido se te afastares e vires a figura que se forma. Eu cá vejo uma figura que faz falta existir :)Endormoon
(http://cenasdalua.blogspot.com)
(mailto:endormoon@netcabo.pt)
Anónimo a 11 de Maio de 2004 às 16:07

Maio 2004
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
11
12
14
15

17
19
20

23
24
26
27
28
29

30
31


mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO