Onde todos podem uivar o que quiserem... vejam por mim!

20
Abr 04
Não percebo em definitivo as mulheres...

Eu sei que já devia ter escrito isto há mais tempo, mas face a problemas datacionais (e esta palavra embora não exista fica bem aqui) não pude. Mas agora acho que já não faz mal...pelo menos não haverá backlash...

Depois de meses e meses a fio sem me interessar por ninguém resolvi abrir finalmente este coração, para aquilo que as revistas côr de rosa, chamam amor! E fiz mal...mais valia estar quieto aqui no meu canto. Sogadito! Mas o coração tem mais poder que a mente nessa altura e pronto... lá fui eu... parecia um perfume inebriante que me puxava violentamente.
O nome da pessoa não interessa... mas os tempos foram correndo bem. Inicialmente procurei não mostrar muita coisa, pois sabia que ela não estava só! Fui sempre o amigo ideal. Atirei a linha devagar, sem pressas e sem ser atrevido (mais valia). A coisa parecia rumar na direcção certa quando me foi dito que ela havia largado o rapaz. Confessoq ue delirei, embora quando ela mo disse tenha dito que não tardava nada ela estaria novamente apaixonada! (POR MIM PENSEI...BURRO)!

Almoçámos uma vezes mas sempre com o intuito de marcar um jantar. Dizia ela, para nos conhecermos muito melhor. Que se sentia mais à vontade comigo do que alguma vez se tinha sentido com alguém. Telefonarmo-nos era coisa do dia a dia...

Meus amigos, fiquem a saber que as mulheres são mais mentirosas que... há algum animal assim, tão ardiloso? Bem me parecia que não!

A data foi marcada.
O jantar corria bem. Ou pelo menos correu até perto da uma da manhã quando ela me disse que tinha algo para me contar! Algo que eu merecia saber acima de qualquer outra pessoa. Ela estava apaixonada.

Confesso como estúpido romântico que sou pensei... estes meses compensaram! Foste aquilo que devias ser. Finalmente vais sair do buraco...

Burro, burro, burro. Não há outro nome que possa chamar a mim mesmo. Ok, estúpido, idota, camelo, anormal... e não convém puxar por mim mesmo porque senão vou longe demais.

Pois bem, aquilo que a moça me queria dizer era simples: estava apaixonada e ele chamava-se...ok, quando ela disse o nome quase desapareci. Já nem me lembro bem, mas confesso que me caiu tudo ao chão. E como bom actor que sou mantive a minha postura, parecendo interessado. Burro, mais uma vez! Confesso que fiquei de rastos. Queria eu lá saber o nome e como é que se tinham conhecido.... arghhhhhh será que ela não percebia? Parecia que estava a ser pisado com uma daquelas betoneiras cheias de argamassa pronta para se transformar em cimento. Foi duro e confesso que ainda não passou. E digo mesmo que escrever isto não está a ajudar lá muito,ao contrário do que alguém me disse!

Eu que tinha feito tanto acabava com tão pouco. Especialmente porque para piorar a coisas ela disse aquela frase terrível: que eu era um excelente amigo! Badamerda para isso não acham!??? Que quero eu com a amizade se não posso ter mais? (ok, eu compreendo os entimento em si, mas nesta situação é difícil aceitá-la!)

Não terei eu dado os sinais correctos? Terei eu abusado no envio de flores e prendas afins? Apostei eu demais na coisa? Eu sei lá. Já revi a situação, agora que passaram mais de 6 semanas várias vezes, mas não encontro erros de morte. Mas confesso que me sinto derrotado. Quase morto por dentro.

E o pior, é que não posso dizer que esteja farto de mulheres, porque elas têm um grande problema...parecem mel! E esta é pior porque continua a tratar-me daquela maneira...vocês que são rapazes e homens sabem. Até doi!

E eu sem poder fazer nada. Ela até já mo apresentou. Tou que nem posso!

Tenho dito!
publicado por Psyhawk às 23:06

6 comentários:
Pronto, já gosto mais de ti :-)Susana
(http://www.circodeferas.blogspot.com)
(mailto:susanacamacho@netcabo.pt)
Anónimo a 23 de Abril de 2004 às 10:55

Não conheço a pessoa que faz este blog.
Falei apenas por aquilo que me parece, cada um tem a sua opinião.Se sou masoquista? LOL não, nem por sombras, sou muito feliz porque sei que tenho uma pessoa que é verdadeiramente especial,pelo menos para mim, a minha "outra metade" como costumo dizer.
Nem nunca tive nenhuma experiência "masoquista".
Não conheço as mulheres...conheço algumas pessoas,fui e sou amigo de muitas pessoas, com quem tinha conversas em que me diziam o quanto sofriam por este ou aquele fulano, e sabes que mais? Elas nunca os deixavam, o porquê?Não sei, amor, paixão, necessidade de não se sentirem sós,ilusão, sei lá, montanhas de razões.
Pode não ser masoquismo...mas também pode ser.
Conheço muitos rapazes que são daquele tipo que abusam percebes? mas no entanto e apesar de fazerem coisas que eu considero nojentas, conseguem sempre o que querem.

Posso não conhecer todas as mulheres do Mundo, nem uma ínfima parte conheço, mas os casos que conheço e não são tão raros como isso, mostram-me que elas não fazem nada para mudar isso, ou se calhar fazem mas não conseguem.
E, ao contrário do que imaginam, a minha vida não tem nada de escabroso, é uma vida pacata como de outra pessoa qualquer, trabalho, estudo exactamente como milhões de outras pessoas.

Tens razão, não se deve generalizar, cada caso é um caso, mas infelizmente conheci demasiados casos assim...o7irg
</a>
(mailto:pgrifo@portugalmail.pt)
Anónimo a 23 de Abril de 2004 às 08:54

Não faço ideia quem é este teu amigo anterior mas essa das mulheres escolherem sempre quem as faz sofrer é de alguém que não conhece puto as mulheres. Se é masoquista, que fale só por ele!

Faço minhas as palavras da Endormoon: não generalizem o que não pode ser generalizado.Susana
(http://www.circodeferas.blogspot.com)
(mailto:susanacamacho@mail.pt)
Anónimo a 22 de Abril de 2004 às 12:09

Queres saber porquê?
Porque por vezes o mais óbvio não se vê, e o que para ti era um sinal óbvio ela poderia ter interpretado como um simples sinal de amizade.
Raras são as mulheres que preferem uma pessoa sensível e atenciosa, elas dizem que sim, mas no final escolhem sempre aqueles que sabem que as vai fazer sofrer. O Porquê? Porque o ser humano é um ser masoquista, gosta de desafios. Sabe que muito provavelmente irá sofrer mas o prémio da conquista é muito mais saboroso, pois teve de batalhar e sofrer e assim dá muito mais valor a algo que teve de conquistar e não a alguém qua à partida já estava conquistado. O problema é que elas no final ficam sempre a perder, porque o maior desafio no amor não é conquistar uma pessoa, mas sim manter o seu amor por nós...

O tempo tudo cura, se não curar experimenta uma boa dose de vodka, a dor de cabeça do dia seguinte irá fazer-te esquecer o dor que sentes no coração. Não repitas é esta dose muitas vezes senão os efeitos secundários podem ser ainda mais nefastos.

Hoje chove mas amanhã irás descobrir um novo Sol, mais brilhante e que assentará perfeitamente na galáxia do teu coração.o7irg
</a>
(mailto:pgrifo@portugalmail.pt)
Anónimo a 21 de Abril de 2004 às 17:16

O amor faz-nos interpretar muitas vezes as coisas da forma errada. É o que se chama a nossa versão da verdade... Vemos o que desejamos. Acontece a todos! E tu recuperas :)

Mas essa das mulheres serem todas mentirosas, bichos ardilosos?!?! Convenhamos, há bons e maus em ambos os sexos, certo? Não generalizemos o que não pode ser generalizado.Endormoon
</a>
(mailto:endormoon@netcabo.pt)
Anónimo a 21 de Abril de 2004 às 10:06

Uns anos atrasada, é certo, mas isto lembrou-me tanto, tanto, um grande amigo meu...
Quero ler mais mas não tenho tempo!
Voltarei
caixapreta a 22 de Agosto de 2007 às 17:50