Onde todos podem uivar o que quiserem... vejam por mim!

27
Jun 04
Embora para muita gente ir à praia seja um acumular de stress, de situações aborrecidas, e acima de tudo, de muita areia, escaldões dolorosos e filas de trânsito, eu sempre fui contra esta corrente. Digamos que a praia serve mais como forma de carregar baterias, de ganhar mais energias... ou seja pode mesmo considerar-se um dos pontos altos do meu fim de semana. (Ok... isto parece mesmo muito mau, mas é assim mesmo!).

Mas com pessoas como a que encontrei em São Lourenço (isto é para os lados da Ericeira)...digamos que a praia deixa de ser uma paraíso para se tornar um inferno.

Mais ou menos um metro e sessenta e oito... (muito bem calculadinha já viram), feia (isso era inegável) e com dois miudos. O certo é que inicialmente era apenas mais uma mãe, daquelas que todos os fins de semana descontraem uma horas a apanhar sol na praia e convivem com os filhos. Ela parecia nomal.... mas não era.

Já ouviram falar de psicopatas, loucos e esquisiofrénicos? Não? Então apresento-vos esta senhora. Pelo que mais tarde soube é conhecida na praia, assim como os filhos, Bruno e Rafael, pelos escândalos que dá. É impossível não decorar o nome dos putos gritados mais de 500 vezes numa simples tarde

Digamos que para ela os dois filhos (ou enteados, ou que raio eram) não serviam para mais nada a não ser para gritar com eles. Ela gritou com eles por tudo. Digamos que qualquer movimento das duas crianças era motivo para mais dois ou três berros, ameaças (vãs, felizmente) de porrada, de estrangulamento, de os fechar no carro, de os atirar ao mar... a coisa mais bizarra! O mais estranho era ver os putos... via-se o medo estampado no rosto...

E deixaram-na ser mãe? Como?
Onde estão aquelas preocupadas senhoras da segurança social nestas alturas?
Em casa a dormir?

Contaram-me que quando está mais furiosa costuma arrastar os miudos pelas pernas até às tábuas de madeira e diz-lhes para ficarem ali porque estão de castigo! Houve até pessoas que revoltadas interferiram várias vezes para acalmar a histérica senhora, mas pelos vistos de nada serve, pois ela diz que vai acalmar-se e dez segundos depois já está numa de peixeira da praça da Ribeira...

Portanto lembram-se do sossego que procuro na praia habitualmente
São Lourenço com aquela senhora: NUNCA MAIS! Ou então terei que levar uma bazuca!
publicado por Psyhawk às 12:07

Junho 2004
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
12

14
17
18
19

21
24
25
26

28


subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO