Onde todos podem uivar o que quiserem... vejam por mim!

28
Mai 07

 

Confesso que nunca fui grande apreciador do cinema feito aqui nneste continente. para mim falta-lhe qualquer coisa. Ok, escapam-se os feitos em Inglaterra...mas o resto...oh senhores! Porém, nunca deixei de espreitar quando a temática ou os actores me interessavam. O cinema made in Europa sempre teve para mim um mistério que nunca consegui deslindar...até que em conversa com a minha Super Babe, consegui chegar a uma conclusão.

Pelos vistos quando o cinema Europeu se denominou como vanguardista (o que deve ter acontecido para ai antes dos anos 40) traçou algumas regras importantes e que desde então raramente quebrou.

Estas são tão rígidas que por vezes até assustam. E se puxarem bem pela cabecinha verão que em todos os filminhos minimamante conhecidos e feitos aqui no burgo europeu, todos estes elementos estão lá:

Regras nº1- A apresentação, o trailer ou o teaser tem que ser sempre muito maus. Ninguém o pode negar. São maus. Normalmente imperceptíveis, sem qualquer rasgo verdadeitro da história que vai ser contada e mostrando imagens soltas, onde predominam os palavrões e eventualmente uma cena de sexo sem lógica. A imagem é escura, chata e os diálogos abafados pelo som do silencio. Mais, ao contrário de qualquer outro trailer, deve ser curtíssimo e de preferência ter referência a um prémio qualquer, nem que seja dado lá no bairro.

Regra nº2- Tem que haver sempre uma cena de sexo. Não importa se é comédia, drama ou qualquer outro género...até pode ser um documentário. Mas tem que haver sempre, mas mesmo sempre, uma cena de sexo, muitas vezes despropositada. Se for um drama ou um filme violento os actores devem quase violar-se. Mais, a cena de sexo deve ser colocada num contexto imperceptível ou inútil para a história ou enredo. Ou então ser a própria história. Ou seja ser um filme porno...mas de arte!

Regra nº3- O silêncio tem que ser mesmo de ouro. A cena até pode ser hilariante, haver mil e uma explosões pelo meio, mas eventualmente em qualquer filminho, da primeira à quarta categioria tem que haver um silêncio ilógico no filme. A sua verdadeira importância escapa a qualquer um (até ao realizador) mas o certo é que como mandam as regras, tem que lá estar.Até no meio de um diàlogo.

Regra nº4- o som tem que se abafado. Segundo se decidiu por estes lados do Atlântico, com raras expeções...talvez os filmes ingleses...o som da película, digital ou analógica, tem que ser sempre meio abafado e as pessoas devem comer pelo menos 20 por cento das suas falas...ou então dizê-las tão depressa que na tradução (sim que nós por cá adoramos a bela legenda) não será possível colocá-las. Nestas alturas acabamos de perder a verdadeira razão ou explicação para o enredo. É que essa fala é que explicava tudo...e ficou de fora!

Regra nº5- Se o filme for português tem que haver um nú frontal. Manoel Oliveira, Leonel Vieira...eu sei lá... em qualquer um aparece sempre alguém ou com o pirilau de fora ou com a pachachinha à mostra. Não interessa. E atenção...é importante que a cena seja completamente supérfula para a acção e que só esteja por ali para mostrar que em Portugal os actores também se despem.

publicado por Psyhawk às 21:21

O que mais me irrita não é propriamente a incapacidade de não fazer nada...mas a negação de um evento em si mesmo.
publicado por Psyhawk às 11:26

Maio 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
12

17
19

20
26

29


subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO