Onde todos podem uivar o que quiserem... vejam por mim!

31
Ago 07
Chocados? Também eu quando ouvi que a nossa menina mais angelical da televisão usava esta expressão como insulto. mas não é só. Quando fala de sexo (imagine-se) a doce virgem fala das suas a aventuras como cavalgadas, o que só mostra que ela de pura e casta não tem nada. Antes puta e gasta.
publicado por Psyhawk às 12:50

30
Ago 07

Tentar fazer conversa logo de manhã com um taxista não é fácil. Especialmente quando é ele que quer falar e eu apenas me apetece ficar a aolhar pela janela a ver a vida passar. Eu lá vou fazendo a conversa de circunstância que se baseia unicamente em alguns acenos de cabeça, uns "uhms" e de vez em quando um "sim,sim", mas nem isso o cala. Está bem disposto , feliz, e gosta do que faz.

Eu por outro lado é de manhã. E de manhã não há quem me ponha a funcionar como deve ser, por muito que tente.Assim lá vou aguentando a conversa imerso nos meus pensamentos que mesmo assim se conseguem sobrepor às ideias do taxista. E chego á conclusão que preferia estar a dormir a ter que pensar . De manhã tanta actividade cerebral mata. E eu nos últimos tempos tenho disso que sobra. Ora me chateiam, ora se chateiam á minha volta... e eu a ver. Vamos lá é a parar de me fazer pensar ok? Eu estava a gostar muito da minha paz mental!

publicado por Psyhawk às 08:40

29
Ago 07

 

Pode ser amanhã?

publicado por Psyhawk às 22:58

O tal desafio da página 161, 5º parágrafo...

Ok, o livro é

Vinyl Café Unplugged (eu leio bué em inglês)

Stuart McLean

 frase é:

"Jennifer picked up her fork, looked around the silent table, and said, "You know what pissies me off?"

Acho que não adianta explicar pois não?

Quem aceitar é só atirar-se ao livro mais próximo que tiver de si, pegar na página 161 e depositar pelos seus blogs o quinto parágrafo

E depois pode-lhes sair uma frase como esta...

LOL

(ah...é verdade, a pergunta fica sem resposta e toda a gente se cala á mesa! eh eh ehe)

 

publicado por Psyhawk às 22:49

Porque raio é que as pessoas não se entendem?

Basta olhar para os cãezinhos e gatinhos e em pouco tempo vemos que eles sabem fazer-se entender uns aos outros sem grandes dramas. O que é, é, o que não é... dá direito a sapatada ou mordidela. Simples, e fácil!

 

Já as pessoas são umas baralhadas. Gostam e depois deixam de gostar. Amam e depois odeiam. Dizem que sim para dizerem logo a seguir gritarem que não. Umas vezes gostam outras odeiam....

e eu ando a ficar com pouca paciência para pessoas.

Cada vez acho mais aturável o apito que vive cá em casa chamado Johnny! Pelo menos esse percebo eu!

publicado por Psyhawk às 22:45

26
Ago 07

Só tenho pena de não ter podido estar mais tempo com a Babe e a bela Anokas, mas a minha vida profissional lixou-me bem (atenção é a terceira vez que escrevo este texto... mas a merda do programa não me deixa fixá-lo. Tou que nem posso).

Durante estes dias de festa (sim, sempre festa), houve tempo para tudo: jantares em locais exóticos, conversas de espantar os vizinhos da mesa do lado, ver o Pacman e outras figuras de renome musical e afins, enigmas criptográficos, fotos, viagens a paises longíquos da Europa, engraçadas  surpresas do passado, riso, muito riso, leituras de palma de mão, descobertas policiais, saltinhos até ao Marinho, que nos surpreende sempre...por ter a porta fechada quando não deve, passeios infindáveis na noite, danças para recordar o passado (faltaram a kizombadas e as latinadas não é minha PGira?)...

Foram dias engraçados

Quero mais...muito mais! Guimarães quando?

PS- Se nas fotos notaram ausências não se espantem. Primeiro porque a bela Scarlet continua sem me deixar colocar aqui fotos da sua bela fronha. Mas compreende-se pois é uma figura de renome internacional e não pode aparecer em qualquer foto. Mas para a próxima apanho-te nem que seja o pé. E claro, o senhor maléfico que numa arte perfeita de ilusionismo desapareceu na noite sem que antes me apercebesse da sua falta. Foi deveras Dumal.

 

publicado por Psyhawk às 14:18

publicado por Psyhawk às 14:15

Não...não começo este Blog com as aventuras de Babe pela cidade de Lisboa, até porque ontem não me deixaram estar com a beldade do Porto e a sua comparsa Anokas!

 

Ontem passei um dia horrível com perto de 10 jornalistas a fazermos figuras de otários, graças a um suposto empresário, casado com uma actriz de renome.

 

Pelo sexto ano um espaço fez aniversário.

Até ai, o que há de mais? Nada. A não ser que a comunicação social, como é habitual, é obrigada a ir até este evento, normalmente marcado por absolutamente nada. Mas são ossos do ofício!

Mas enfim...lá fui.

Tive que acordar às oito da manhã depois de ter dormido meras 2 horas e meia dúzia de minutos. Estava mal disposto, irritado...em suma, furioso. Mas lá tive que ir.

 

Prometia-se um dia gelado, mas aquele senhor que administra este belo restaurante continuou a querer o seu belo passeio de barco. Há pessoas que não percebem mesmo que perderam!

 

Confesso que ao contrário do que é habitual não fiz companhia ao fotografo que nos acompanhava. Dormi a meia hora de viagem. Depois arrependi-me, porque o senhor já não vai para novo, mas o meu corpo protestava com cada movimento que fazia.

Depois de vermos a vipalhada chegar e depois de chegarmos ao barco fomos informados pela menina que tratava das relações públicas do evento, que não iriamos fazer a viagem toda no barco grande. Havia duas razões: os vips e outros convidados queriam estar à vontade e além disso sempre podiamos fazer umas imagens do exterior do barco que dão outro colorido às reportagens!

Assim fomos enviados para um semi rígido amarelo.

O tempo entretanto, apesar das promessas do senhor empresário mantinha-se a mesmíssima merda. Aliás já esperado. Quem está atento à metereologia do yahoo até sabia que Sábado ia ser mesmo uma belísisma merda e que viagens de barco ou idas á praia estavam mesmo destinadas ao fracasso!

Entretanto saltámos para o barquinho amarelo. Dez jornalistas mais uns cinco fotografos.

O barco arranca e de imediato percebermos que o passeio de agradável não ia ter nada. Enquanto no barco grande os perto de 80 convidados do senhor empresário se divertiam à grande- dos quais contavam-se umas dez figuras públicas- a imprensa viajava em terror. O mar, encrespado fazia ondas que cobriam o barco deixando toda a gente molhadinha. Não era que as ondas fossem grandes, mas quem estava a trabalhar, estava ali para tudo menos levar com água do mar salgada e gelada. Foi meia hora de gritos, protestos...tudo porque o mister do evento achava que precisávamos de fotos do pessoal no barco grande a divertir-se à grande e à francesa...especialmente com a nossa cara, já que estava todos a olhar para nós, completamente enchardos, a rir a bandeiras despregadas.

 

Depois de trinta minutos de terror, somos levados para o barco grande. Nessa altura havia microfones estragados, camaras fotográficas em mau estado, jornalistas molhados até à roupa interior. Uma vergonha.

E eis que o senhor empresário, nada preocupado, nos pergunta porque estamos tão irritados! A explicação que lhe damos pareceu-lhe parva. Mas parvo é mesmo ele. O ser estava ali para se divertir. Eu se quisesse fazer isso não ia para aquele sítio num dia de chuva- só mesmo um idiota!- e se o fizesse ia com amigos e não com ele e oitenta completos estranhos- até brasileiras strippers havia! Mais as condições que nos tinham sido dadas era tudo menos boas, vergonhaosas, etc, etc, etc.

Ele respondeu que até estava a ser caridoso, até porque podia apanhar uma multa só porque nos tinha a bordo. Afinal a embarcação não estava preparada para tanta gente. Ou seja, tinha contratado um barco pequeno demais para o evento, tudo para controlar os custos...

Não adiantou aquela falsa explicação, o suposto carinho que ele diz ter por nós...nada. Foi tudo uma miséria. Mas para piorar as coisas, vendo-nos molhados e furiosos, prontos para nos irmos embora a qualquer momentos, com várias pessoas a prometerem boicote ao evento- falando das pessoas não do espaço da festa ou dele mesmo, sai-se com várias pérolas que passo a enumerar:

1- Querem álcool?- mas ele pensa que a imprensa quando trabalha é para se emborrachar? Ou será que ele mede os padrões de trabalho dele pelos dos outros! Se ele bebe em trabalho é com ele! Mas assim já se percebem certas coisas!

2- Tem que aproveitar o lado positivo da vida- que lado positivo? O estarmos molhados? a trabalhar num sítio que não queremos? o estarmos a ser maltratados? o não termos condições de trabalho? A fazer um evento que não vale nada? A não podemos  estar com as pessoas que gostamos e estarmos ali a aturá-lo?

3- Tomem lá umas camisolas- Sim, porque umas t-shirts de segunda vão aliviar as pneumonias, gripes e sucessivas doenças que vão suceder-se nos dias seguintes?

 

 

publicado por Psyhawk às 11:53

24
Ago 07
terceiro jantar blogs...aqui vou eu!
publicado por Psyhawk às 20:05

Realmente a ideia de ir até Cacilhas, para jantar, não podia ter sido melhor. Parabéns pela escolha do local. Se alguém quiser um espaço ao ar livre para uma jantarada fabulosa, aconcelho este espaço que visitei. Chama-se Ponto Final e fica ao lado do Atira-te ao Rio. Não é caro e tem uma comidinha que é um sonho. Além de que tem uma vista de Lisboa de chorar por mais!

A companhia da Nina, Babe Certificada e Neo também ajudou. E ainda estou arrependido de não ter feito o paparazzi ao Da Weasel...mas enfim, para a próxima não escapa.

Porém foram acontecimentos mais tardios que ficaram gravados na minha memória.

De passagem pelo bar Tuareg, lá fomos nós despertar os sentidos com um cházinho. Desta vez não houve xixa (nunca sei como é que isto se escreve, mas estou a falar dos cachimbos de água) porque estava e ainda estou a ressacar de uma otite.

Porém se nós não nos aventurámos pelos fumos do paraíso, houve quem não se fizesse rogado.

Ter 17 ou 18 anos, ser Agosto e ter amigos liberais é do melhor. Eu lembro-me bem. Eram quase 4 meses de férias (fim de Junho, Julho, Agosto, Setembro e ainda uns dias de Outubro), muita liberdade, alegria e estar sempre pronto para uma asneira.

Hoje até confesso que me arrependo de não ter feito mais...se calhar experimentado algumas coisas que hoje não me vejo a fazer...

Mas voltemos á história

2 elas 2 eles. Entretinham-se a fumar xixa como se não houvesse amanhã (parecias tu Vaco naquela vez que fomos lá com as meninas Kitty, PGIra e Aidinha e tu ficaste viciado em menta). E ás tantas deu-lhes para as apostas...deve ter sido isso.

O que sei é que subitamente um dos rapazes alternava entre beijar uma das meninas e a outra (sim a inveja é uma coisa muito feia). E não satisfeito, a seguir toca de beijar o gajo também (what???). Choque. Óbvio. Não estava á espera. Eles...na maior. Repetiram a façanha mais tarde enquanto tentavam fumar a dois e dois e sem problemas.

Se havia alguém arrependido pelo que estava a fazer?...Pelo menos aquela hora não. De manhã talvez sim...ou talvez não.

Aquilo é que era uma amizade liberal. O certo é que partimos e eles e a sua liberdade lá continuaram, alegremente e sem problemas.

 

Por lá ficou também a bela dançarina do ventre...mas depois de ter visto uma sessão, recentemente, com uma beldade inegualável, foi difícil ser seduzido pelos movimentos demasiado estudados desta mocita. Até minha Catarina Sofia Meireles e Silva fazia melhor...enganando-se na coreografia e tudo (LOL).

publicado por Psyhawk às 10:22

Agosto 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
11

13
14
16
18

23
25

27
28


subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO