Onde todos podem uivar o que quiserem... vejam por mim!

28
Fev 08

Não quero ferir susceptibilidades, por isso se é do Porto, esqueça este post... imagine que ele acaba aqui mesmo...

Infelizmente não é o que acontece... eh eh eh eh eh

Estou na Invicta como disse. E confesso, que está a ser uma aventura.

Não porque esteja a ser um trabalho complicado (é-o, mas faz-se com um pouco de carolice, boa vontade e imaginação a rodos), mas porque é ridículo viajar nesta cidade.

As placas são nulas ou estão colocadas depois da bifurcação da estrada e perguntar por diccções é o mesmo que pedir para ser enganado. Nnguém dá a mesma resposta duas vezes seguidas. Parece que nem moram na cidade.

E se nos enganamos...para voltar ao ponto de origem é quase preciso dar a volta à cidade. É que isto vive de sentidos únicos e ruas que não vão dar a lado nenhum do indicado...

Para chegarmos às Antas, por exemlo foi preciso a ajuda de uma...brasileira, porque o pessoal cá da terra fez-no dar mil e uma voltas quando o que pretendiamos estava mesmo ali ao lado.

É de loucos.

aHHHHHHHHHHHHHHHHHH e depois dizem nomes de ruas como se não percebessem logo que não somos de cá.

Haja deus!

publicado por Psyhawk às 20:09

27
Fev 08

Ando sem tempo. Mesmo. E queria ter pois tenho tanto para escrever.

Mas mais uma vez me vejo obrigado a dizer adeus a este blog até segunda...então regressarei retemperado (ou seja morto de cansaço) e cheio de ideias para isto voltar a ser uma casa como deve ser.

Volto em breve.

E agora vou para a Invicta. Quem quiser...call me!

publicado por Psyhawk às 23:52

21
Fev 08

Porque não quero ferir susceptibilidades,( e porque descobri há uns meses -e  não é par me gabar- que algumas caras conhecidas espreitam este blog, embora não saibam quem realmente escreve neste pasquim, mas já retaliaram contra a revistoca) e porque não me quero chatear muito, resolvi escrever isto como se fosse um espectador.

Sim, um daqueles que à noite se senta em frente À TV e chapa com qualquer merda que passa. Tipo uma gala...

Entre canções de embalar mortos, a manelita e as suas mil plásticas, piadas que não resultaram, e uma série de coisas sem nexo- como aquele momento do futebolês- só mesmo os que sofreram uma lobotomia ficaram ali a olhar para aquilo sem mudar de canal ao fim de cinco minutos.

Meu deus...15 anos depois ainda não se sabe fazer uma gala.

Mas porquê? Como? Haja paciência!

E depois claro...há o resto... o delicioso resto. Os amores desencontrados, os engates de terceira categoria, os que dizem que que não tem cara metade e aparecem com duas na mesma noite, as beldades nos seus trajes, as que andam de limusine sem terem como a pagar, os que querem praticar swing mas enganam a imprensa com trocas de casais num discoteca, os colegas que acham que são mais espertos que os outros, mas que bem se vão lixar... oh senhores... ah, galas, galas e depois há esta.

E nos próximos dias aqui estarão as historinhas maravilhosas que tanto sumo vão fazer correr...umas de boca em boca, outras em capas de revistas...

Para a próxima, se me deixarem, fico em casa. Prometo. Juro!

 

publicado por Psyhawk às 12:57

19
Fev 08

Tenho sono, muito sono, mesmo muito

Porque é que uma pessoa tem que ir trabalhar tão cedo?!

publicado por Psyhawk às 09:31

18
Fev 08

Não gosto de chuva. Não gosto, pronto. E acordar pela manhã com o som de água a cair, como se estivesse debaixo de um cascata menos me agrada.

Ainda se pudesse ficar em casa no quentinho do lar, a beber chá e a comer scones...

Agora ter que ir trabalhar e levar com chuva, que não pedi a ninguém...

Não há paciência.

Foi muito irritado que sai da cama.

Mais ainda fiquei quando decsobri que por causa de um buraco aqui na rua, provocado pela queda do chão (senhores o que estas cheias já fizeram de desgraças...e acho que a culpa é da Maria Elisa que ontem fez um programa dedicado ao tema. raça da mulher!!!) também não havia gás.

O humor, digamos que aqueceu...para não dizer que explodiu.

Sai de casa de telha... não...de tecto, porque o mau humor era tal que era perceptível a 200 metros de distância

Pior ainda fiquei quando descobri que o chapéu que levava estava com uma vareta partida, ou seja, deixava entrar água por tudo quanto era lado. Em poucos segundos comecei a ficar molhadinho que nem um pinto. Mas voltar a casa é que não! Decidi esperar pelo autocarro na mesma.

O dia de trabalho passou-se. Sem dramas, corridas ou achaques. Ao menos isso. Foi indo, devagarinho sem problemas.

Talvez por isso, e porque finalmente consegui sair cedo (upiiiiiiiiiiii) dei por mim  a caminho do cinema. Entre três ou quatro belas películas que queria ver (e que esperava que fossem boas e não as mediocridades que por vezes acaba por escolher)optei pela certa: PS- I Love You. Uma comédia dramática perfeira para este dia.

Sai do Corte Inglês feliz.

O filme tinha-me deixado com um humor perfeito. Finalmente, depois de tanta chuva e tanta molha,algo mesmo bom. Até me sentia quente por dentro (O filme é brilhante e o conceito está muito bem imaginado).

Vim para casa ao som de Matchbox 20, Westlife e Sugababes (eclético não?). E tudo correria bem até que mesmo à minha frente, no autocarro, sentou-se um senhor, que juro, não tomava banho há pelo menos 1 anos.

O cheiro era nauseabundo e se não fosse o meu belo perfume que já está entranhado no casaco acho que neste momento alguns de vocês estariam a caminho do hospital para me ver a morrer sufocado!

Pior mesmo só quando ele se mexia.

Felizmente adormeceu no banquinho "sogadito". Ao menos isso.

Sai e ele também. Embora estranhasse pensei que se dirigia a uns prédios de habitação social que existem por aqui. Eu sei que fiz um julgamento apressado e paguei por isso! Não é que dei por mim a vê-lo entrar no prédio mais fino aqui do bairro? Estava estarrecido. Eu sei que hoje não havia gás...mas era preciso cheirar assim tão mal? Não se podia lavar com água fria? E era preciso a roupa também cheirar a merdinha? Não podia ter posto uma nova? Fico a pensar que surpresas mais me trará o mundo!

publicado por Psyhawk às 23:11

 

Durante anos a fio achei que os americanos, embora soubessem fazer musiquinha à maneira tinham um calcanhar de aquiles que era quase igual ao nosso pimba: chama-se country music.

Tanto violino, contrabaixo, mandolim e outros instrumentos afim davam-me cabo dos nervos. Foi assim durante muitos anos. E depois apercebi como estava erradíssimo.

Como em todos géneros de música há a boa e a má...ou então, a que nos agrada ao ouvido e a que nos irrita até á medula.

Foi com pôres do sol e com viagens longas- tipo para o Algarve de camioneta- que fui descobrindo, aos poucos, as cores da música country. E aos canção após canção as baladas tornaram-se menos chorosas, e as rodas pirosas tornaram-se bailes animados cheios de gente gira e com vontade de mostrar a sua natureza.

Confesso que os filmes americanos também ajudaram.

E aos poucos nomes como Keith Urban, Carrie Underwood, Brad Paisley, Kenny Chesney, Shania Twain, Lonestar, Faith Hill, Leann Rimmes...deixaram de ser banidos da minha playlist para passarem a fazer parte, como se qualquer outro tema se tratasse.

Eram eles qiue me lembravam do calor do verão, dos amores repentinos, das paixões perdidas e achadas, do caminhar pelas ruas sem destino, da vontade de viver...

E qualquer dia compro um chapéu e digo Yeaeeeh ahhhh

 

publicado por Psyhawk às 23:02

17
Fev 08

 

Depois de um almoço em família dei por mim com 2 horas sem nada para fazer antes de regressar ao trabalho. Sim...até já ao fim de semana não me largam.

Assim e como estava na baixa, dei por mim a deixar-me perder pelas muitas ruas da capital.

Todos sabem que sou alfacinha de gema, e que adoro Lisboa, mas ontem, sem destino deixei-me vaguear entre lojas, ruas e ruelas sem destino. Foi uma espécie de transe que me fez andar, por aqui e por ali....

Durante anos ouvi as pessoas a queixarem-se de como a nossa baixa está a ficar despovoada e despersonalizada, mas foi exactamente o oposto que ontem encontrei. Da velhinha na janela, que procura a coscuvilhice do dia, ao vendedor das deliciosas castanhas, passando pelo homem estátua, e as lojas de criadores nacionais, uns caros outros nem por isso.

Pessoas em grupos, sozinhas, aos pares, centenas passeavam por aquelas ruas, umas de máquinas fotográficas em punho, outras apenas deliciando a vista com os próprios olhos. Todos sorriam...ou pelo menos aparentavam sorrir. Havia alegria no ar, como numa canção country de final de verão...apesar do sol estar a pregar partidas.

Foram duas horas de voltas e voltinhas que deixaram a minha cabeça mais clara.

Uma terapia que não custou um tostão!

publicado por Psyhawk às 12:11

16
Fev 08

Aqui ficam as minhas preferências musicais de 2007.

Este hábito nunca há-de morrer, e há-de oferecer a gente menos aberta á música coisas a espreitar

40- Silencio- David Bisbal

 

39- Stranger- Hillary Duff

 

38- With Love- Hillary Duff

 

37- Tattoo- Jordin Sparks

 

36- Rain- Ola

 

35- Happenin’ All Over Again- Young Divas

 

34- Home- Westlife

 

33- Missing You- Tyler Hilton

 

32- When You’re Gone- Avril Lavigne

 

31- Red Umbrella- Faith Hill

 

30- Let’s Dance- Craig David

 

29- It’s Not Over- Daughtry

 

28- Glamourous- Fergie feat. Ludacris

 

27- Inconsolable- Backstreet Boys

 

26- Anonymous- Bobby Valentino feat. Timbaland

 

25- Through the Pain- P.Diddy feat. Mario Winans

 

24- Big Girls Don’t Cry- Fergie

 

23- Sober- Kelly Clarkson

 

22- Piece of Me- Britney Spears

 

21- Lovestone- Justin Timberlake

 

20- Relax (Take it Easy)- Mika

 

19- About You Now- Sugababes

 

18- Body Language- Heidi Montag feat. Spencer Pratt

 

17- Bleeding Love- Leona Lewis

 

16- If Only You- Danny Saucedo feat. Therese

 

15- SOS- Ola

 

14- Lost Without You- Robin Thicke

 

13- Cut of Time-Omarion feat. Kat Deluna

 

12- Like the Wind- Lumidee feat. Tony Sunshine

 

11- Icebox (Remix)- Omarion feat. Usher

 

10- Home- Daughtry

 

9- Because of You- Ne-Yo

 

8- Last Night- P.Diddy feat. Keisha Colle

 

7- Apologise- Timbaland feat. One Republic

 

6- Umbrella- Rihanna feat. Jay-Z

 

5- I Hate That I Love You- Rihanna feat. Ne-Yo

 

4- What Goes Around- Justin Timberlake

 

3- Don’t Stop the Music- Rihanna

 

2- Gimme More- Britney Spears

 

1- The Way I Are (Radio Edit)- Timbaland feat. Keri Wilson & D.O.E

 

publicado por Psyhawk às 11:08

Como um colega meu diz: tanto fazes que um dia vais levar a ripada. Claro que ele diz isto, porque deficiente como é, gostava de me ver no chão a verter um bocadinho de sangue.(querido...primeiro hei-de ver-te eu a ser corrido daquele emprego)

 

Mas seja como for...

Esta semana houve um bocadinho de tudo e talvez por isso é que não tenha conseguido escrever aqui fosse o que fosse.

O pior mesmo foi, por causa desta minha profissão...

Pela primeira vez fui ameaçado fisicamente. Avisaram-me que me iam partir todinho. Ainda para mais por uma coisa que nem tinha feito. Eu bem tentei explicar mas a voz do outro lado do telefone- foi tudo via telelé, que as ameaças agora são modernas-  mas os ouvidos estavam mocos a qualquer explicação. Nada de nada. Confesso, que por ser quem era- e não vale a pena mencionar nomes- até que fiquei nervoso.

Mexia comigo. Como é que as pessoas se passam por coisa nenhuma e tomam actos tão irreflectidos sem sequer quererem avaliar a verdade?

Digo-vos, aqui, que até cheguei a pensei ir à polícia. Afinal, era uma ameaça física.

Mas o meu pai, que tenho a certeza que num filme de western seria o John Wayne, dispôs-se logo a tratar do cebo do certo gajo que me ameaçava. É verdade. Eu que lhe contei apenas por contar vi-o transformar-se num herói de banda desenhada pronto para desfazer os mauzões. Ele até elaborou um plano. Até estava arrepondido de lhe ter contado o que quer que fosse!

Mas depois esqueci tudo.

Deixei-me vagar no sono e acabei por acordar de manhã não muito preocupado. Afinal, como diz o ditado, cão que ladra não morde.

E assim foi.

De manhã recebi uma mensagem com um pedido de desculpa do ameaçlador e duas horas mais tarde um telefonema humilde e quase de hulilhação com um pedido de desculpa, que confesso aproveitei pois queria também, por momentos senti-me na mó de cima.

Enfim...um dia dos namorados diferente.

Agora deixarei de o ver esta data apenas como o dia dos beijinhos e abraços irritantes, que polvilham este pais, mas também como o dia em que há gente que enlouquece e toma medidas extremas...mesmo sem razão.!

publicado por Psyhawk às 10:08

12
Fev 08

A poucos minutos de ter tudo pronto, de estar em casa, uma merda num programa fode isto tudo. E ainda estou a trabalhar. Eu realmente mereço!

E depois ainda levo com telefonemas anónimos porcos. Uma bardajeira de vida!

publicado por Psyhawk às 19:59

Fevereiro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

11
13
14
15

20
22
23

24
25
26
29


subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO