Onde todos podem uivar o que quiserem... vejam por mim!

20
Fev 07

Não, não falo de nenhuma que me apeteça pôr em prática, mas daquela que as nossas televisões, desde ontem exibem.

A SIC, e a Sodona Teresa Guilherme andam deseperados à procura de um êxito noveleiro. O Jura foi uam desgraça...o 7 Vidas uma atrocidade...O Aqui Não Há Quem Viva...estava mesmo morto.  

Vai dai, foram aos baús das novelas Chilenas e Argentinas (mais uma vez...porque não não lhes bastava ter a Floribella no ar!!!!) e desencantaram de lá uma adaptação que aquelas televisões fizeram da história do Conde de Monte Cristo, que os rapazes e raparigas da América do Sul tanto adoraram.

Vai dai toca a transportar a bela história (que já deu filmes brilhantes), escrita originalmente pelo senhor Alexandre Dumas para a realidade portuguesa. E ai começa a asneira...

Quem já olhou para a a novelita made in SIC reparou já nestes belos pormenores (e estamos só no 2 episódio):

1- O Paulo Rocha, a Lúcia Moniz e o Diogo Morgado foram as escolhas mais infelizes para esta novela, pois sabe-se lá como perderam toda a capacidade que tinham de ser actores. Os três paracem monos que para ali andam. Do Paulo Rocha, já era de esperar...agora do resto. Salva-se o elenco mais velho...com excepção da Teresa Guilherme, que volta aqui a querer brilhar como actriz e que faz tudo...menos ser aquilo que devia ser...

2- A realidade marroquina, pintada nesta novela é sem dúvida atróz. Tenho a certeza que o embaixador deles, aqui em Portugal ainda não viu este máginífico produto, que apresenta Marrocos mergulhado num bárbaro século XIX, onde a electricidade é rara e ainda nem existe numa simples prisão... que já agora, há semelhança das do século XVI são feitas de argila.

3- A montagem é feita à la Morangos com Açúcar e em tons amarelados para dar mais realismo à coisa. No entanto, só consegue deixar-nos ainda mais enjoados do que estavámos depois de vermos a actuação, mais uma vez, do Paulo Rocha

4- Os cenários das casas voltam a ser bonitos, mas de uma funcionalidade pouco brilhante. Tal como nos primórdios da televisão continuamos sem ângulos e as pessoas falam todas umas com as outras de lado

5- A história é montada em formato de Flashback, anáforas e elipses... mas na realidade é com muito esforço que conseguimos descortinar o que era 2000, 2006 e 2007... especialmente quando os figurantes aparecem duas vezes em cenas diferentes, pertecentes a anos completamente dispares. Do best...

E assim se fazem novelas na SIC!

FUJAM enquanto podem!

 

publicado por Psyhawk às 23:00

2 comentários:
Eu nunca gostei de novelas. Muito menos de portuguesas. Eu sei que o nacional é bom e tal. Mas novelas portuguesas não. São tão mázinhas que eu ao invés de eu seguir a história, fico incrédula com aquelas representações.
Pois que agora, sempre que tinha tempo, via a novela Páginas da Vida. Quando reparo ontem, que agora antes dessa novela põem essa porcaria de q falas. Não há pachorra. Com isto eles vão conseguir que as pessoas que seguem a brasileira, deixem tb de a ver. Enfim... burros.
Kitty a 21 de Fevereiro de 2007 às 10:29

Eu acho que mais uma vez, vai ser um flop da Teté, mas vamos, pelo menos, esperar para ver... também ainda só vai no 2º episódio... Ó Kitty, e olha que eu tb sp gostei muto mais das brazucas, mas o Tempo de Viver está bem interessante sim... mas tb, temos que convir que o Rui Vilhena (autor) viveu no Brasil muito anos...
Belita - Party Girl a 21 de Fevereiro de 2007 às 17:02

Fevereiro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

11
12
16
17

18
23

25
27


mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO