Onde todos podem uivar o que quiserem... vejam por mim!

16
Jan 05

Faz alguns meses falei da dificuldade que era procurar uma casa em Lisboa, que fosse não só no sítio ideal, mas que tivesse tudo aquilo com que sonhámos...e para cúmulo fosse de encontro aos nosso interesses financeiros!


 Infelizmente, devido a condições que me são alheias tive que adiar as coisas. E deste vez a culpa nem era a falta de vontade, dinheiro ou lazeira... era algo que me prendia de vez a casa por mais uns meses. Mas como a ameaça de caos está mais ou menos passada, há um tempo para cá tenho visitado umas quantas habitações por Lisboa.


E como todo o bom solteiro resolvi primeiro ver casas novas. Porque não tentar?


E por incrivel que pareça tenho até visto coisas nos preços mais ou menos que queria.... só gostava de saber uma coisa? Porque é que as constroem à frente de bairros de barracas, sociais da pior espécie ou no meio do nada entre uma azinhaga e um precipício? É uma boa pergunta não é?


Bem, pois ontem foi à Ameixoeira... Pois é... as casas até não são nada más, um T1 não chega aos 12 mil contos (é construção controlada para jovens...e eu na posso dar muito... não sou como uns e outros que agora já nem visitam este blog!)... mas depois há o resto.


Todos os apartamentos da zona estão rodeados pelos recolocados da área de barracas do Bairro do Mocho. Não tenho nada contra a recolocação poiis venho de um bairro, os Olivais onde isso foi bastante habitual e é possível ver o senhor do porche ao pé da senhora que lava escadas... e como descrevi acima até parece racismo social... mas ao chegar eis com o que me deparei, e atenção, não estou a falar de um filme americano: 2 lojas recentemente lá colocadas assaltadas; polícia a perseguir um carro; um bando daqueles que só vemos nos filmes; e prédios em volta cheios de grafitti (não daqueles bem feitos como já vi por muito sítio, mas apenas tags!), embora os recolocados só lá estejam há pouco mais de 3 meses.


Pior...o metro é a aproximadamente 20 minutos a pé por zonas descampadas, o autocarro que lá passa só o faz nas horas de ponta e quem se atrever a ir de carro leva com a Calçada do Carris... ok? Portanto desisti... É só mais um. Com o tempo hei-de achar o que quero...eu acho! Ou então olha não tenho outro remédio senão atirar-me à primeira coisa que vir e ficar verdadeiramente falido...e garanto-vos que por quase 10 segundos vi-me a morar ali...só foi pena o que rodeava o espaço.

publicado por Psyhawk às 11:43

1 comentário:
Visito sim, não tenho é nada a dizer.tu sabes quem
</a>
(mailto:cmariano@record.pt)
Anónimo a 18 de Janeiro de 2005 às 17:50