Onde todos podem uivar o que quiserem... vejam por mim!

26
Out 04

Sinto que o mundo à minha volta anda a duas velocidades muitos diferentes e que nem sempre se compreendem. Duas forças que seguem em direcções opostas por momentos mas que de alguma forma ou de outra eventualmente voltam a seguir os mesmos caminhos. E subitamente até se sobrepõem! Confusos Óptimo! Expliquemos então.


 Os solteiros: Lutam por conseguir uma casa que lhes chegue e que não os arruine. A maior parte tem o coração demasiado riscado para se afortunar demasiado, mesmo assim procuram alguém com quem se conectar... o pior é que são cada vez menos as possibilidades. E as perguntas sobre um futuro casamento, feitas pelos parentes hávidos sempre de uma boquinha livre, parecem nunca mais sessar! Há ainda a vontade de se realizarem profissionalmente que parece que ocupa um grande espaço na vontade. Há claro a liberdade, o jogo de cintura e a capacidade da independência...


Os casados: a casa e o carro já cá cantam. Seguem-se agora os filhos. Um, dois, três... Há muito que os problemas do coração seguiram outras vielas e agora são as finanças que os preocupam. Gostam da paz, do sossego e de desenhar a vida para que não haja sarilhos no futuro lá á frente. Há ainda a benção da família, a falta de tempo, o capacidade do amor...


Duas velocidadades Dois métodos de encarar a vida


Difrentes formas de sentir, e de encarar o problema


Duas velocidades opostas que por vezes chocam e fazem mais barulho que problemas mas que nos põem a pensar: será que gostava de estar na pele dele?


 O certo é que acho que no fundo, não importa o quanto o neguem ambos invejam uma coisa um do outro: a liberdade, a família, a loucura, a paz...


 

publicado por Psyhawk às 21:34

Vou fazer um comentário dois em um. Não sei com que pessoas te andas a dar, mas sinceramente, não há pachorra para a história do amor não vem, vou morrer sozinho...Que bando de tretas. Todos os dias as pessoas se apaixonam e desapaixonam. Todos os dias um amor nasce e outro morre. O Mundo é mesmo assim. Apesar do que algumas pessoas podem pensar a partir dos trinta a vida continua com as suas infinitas possibilidades que só a mente fechada de alguns não consegue ver. Parece que aos trinta alguém está velho para viver...Ninguém murcha e morre com esta idade a menos que assim o deseje. Mas respondendo à questão dos solteiros e casados. Não podia discordar mais. Conheço casados que não se tornaram monges tibetanos sempre fechados em casa só porque assinaram um papel em frente a sr do cartório. Também conheço solteiros que não andam com a proverbial ---- aos saltos e são pessoas atinadinhas. Cada um anda ao seu ritmo, com os seus amores e desamores, sucessos e fracassos e se há invejas de cada um dos lados então anda para aí muita gente desajustada da vida que tem. Porque se queres que seja brutalmente honesta nada dura para sempre. Nem a solidão, nem o amor.mandras
</a>
(mailto:mandras@iol.pt)
Anónimo a 27 de Outubro de 2004 às 12:02

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.