Onde todos podem uivar o que quiserem... vejam por mim!

06
Set 04
Quero uma máquina fotográfica digital.
Pois quero sim senhor.
Mas como decidir pelo que comprar.
Este tem sido o meu drama dos últimos dias. Não é nada transcendente, mas quando se está de férias são estes pequenos nadas que nos preocupam.

Já vi centas de lojas. Consultei milhões de papelinhos explicativos... e nada.

Há milhares de variáveis a ter em conta...entre elas o preço, a capacidade deste meu computador para agarrar programas que é cada vez menor pois está, coitadinho, a dizer adeus ao mundo, o preço dos cartões...

Um drama
Antes era muito mais fácil
Ou tinha zoom ou não e mai nada!
Agora são milhares de botanitos, centenas de opções e eu estou a dar comigo em doido!

este futuro é mesmo muito á frente...
publicado por Psyhawk às 12:25

Alguém percebe em que estação do ano estamos. Eu já não!
publicado por Psyhawk às 12:09

05
Set 04
O baptizados tem apenas uma função: ouvir um padre chato que só pensa em zejus e encher o bandulho!
Tou que nem posso
publicado por Psyhawk às 20:39

Ir à FNAC pode tornar-se uma verdadeira aventura quando se procura um CD. Tudo porque metade das coisas que se procuram, muitas das vezes estão algures guardadas num cofre do qual ninguém tem a chave...ou então há pura ignorância sobre o assunto. Foi esta segunda hipótese que me foi brindada recentemente.

6 CD, alguns com mais de 1 ano, todos eles eventualmente top ten nos Estados Unidos ou Inglaterra. Todos eles artistas de sucesso. Na FNAC não só não os conheciam, como duvidavam até que esses álbuns alguma vez tivessem existido... ou sequer que os artistas existissem. Expliquei que eram música pop, daqueles simples, sem malícias...

Estava então a coisa explicada...
Mas a razão para tal dúvida era simples afinal: era tudo música Pop, algo que aqueles meninos da FNAC temem como o diabo foge da cruz. Para eles é mais conhecido o NGA do que qualquer coisa que esteja num top qualquer deste mundo. É como uma alergia. E tratam, para se defenderem, bem sei, de avisar logo que provavelmente esse álbum não sairá nunca em Portugal proque ninguém conhece tal...
Ahhhh, quanto á simpatia, isso só se pagar valor acrescentado!

Uma simples visita ao corte inglês e surgem logo dois dos CD.
Afinal pelos vistos existiam. Alguns até estão esgotados há algum tempo disse-me a senhora do Corte...
Então...em que ficamos?

Na FNAC prefere-se não se entrar em contacto com tal podridão e deixar o cliente mas é às aranhas e a comprar o que há. Não há esforço em diversificar e em apostar em coisas diferentes. A nõ ser que sejam coisas tão obscuras que ninguém conhece ou sequer vai querer saber... Mas afinal, não são eles que dizem terem tuuuuuuuuuuuuuuuudo o que já foi lançado? Pelos vistos só se forem os NGA.

A propósito alguém sabe quem são estes gajos?


publicado por Psyhawk às 20:35

02
Set 04
Temo que chegámos a um ponto em que temos que ter cuidado com tudo o que dizemos. Há sempre alguém ofendido com esta palavra ou com aquela. Parece que temos que ter, mais que pezinhos de lã, uma boca, e uns dedinhos mais macios que veludo. Todos tentamos ser apenas irónicos e nunca dizer a verdade, porque essa magoa e não é correcto magoar ninguém.
Por isso vivemos numa de politicamente correcto. Até as palavras já mudaram de direcção. Homens e mulheres tem que ser sempre iguais, em qualquer situação até no português. Memsoq ue para isso as suas regras tenham que ser pervertidas. Os grupos minoritários tem que ser sempre tratados com paninhos quentes, ninguém pode ser ofendido. E a verdade continua escondida.
Por isso quando slogans de ordem pública foram pixados numa parede em Lisboa, temeu-se o pior, quando na realidade, deixámos pela primeira vez de ser politicamente correctos para sermos verdadeiros. Porque no governo português temos uma cambada de fascistas que só agora se lembraram do diálogo quando as chamas da raiva do povo se levantam e vêem os cargos ameaçados.

Slogans é pouco.
Chegou a hora da verdade
Chegou o momento de fazer ouvir quem merece
Esqueçam os políticos, ouçam as mulheres

Deixem chegar a Portugal o Women on Waves!
publicado por Psyhawk às 20:16

Meu caro amigo Paulo Portas
Lá porque as suas ideias são contra a entrada de um pobre barco em águas territórias, que só mostra que tem medo que as pessoas comecem a pensar por elas próprias só lhe faz com que receba um nome: Fascista!
publicado por Psyhawk às 13:15

Não sou racista...
Nada disso...
Posso dizer sim que sou sectário. E comecei a sê-lo desde o secundário. Não tenho a culpa...foi-me incutido. E este governo está a tornar-me ainda pior. Falo claro, da raça que dá pelo nome de Betos. Eles e as suas camisinhas cor de areia, amarelinhas, ou azuis pardacentas, das suas camisetas com motivos de mar, calças a deixar ver a meia colorida ou axadrezada ou o tornozelo e o raio dos seus maravilhosos sapatos vela.

São irritantes e acham-se sempre superiores aos outros, só porque podem comprar uma série de coisas naquela loja que dá pelo nome de Quebra Mar...

Estou farto deles.
Que querem
Estão por toda a parte, com aqueles cabelos metidos nos olhos e com ideias cada vez mais do antigamente.

mas quem sou eu para julgar tal gente?
publicado por Psyhawk às 13:13

01
Set 04
Estive alguns dias de férias.
É verdade sim senhor.
Fui até ao Algarve esquecer as tragédias da vida, as confusões citadinas e as notícias horrendas dos telejornais. Desliguei-me de tudo excepto do sol, da praia e das festas algarvias com música a rigor. Pus o off por apenas 5 dias. Hoje ás quatro da tarde carreguei no on.

É com horro que vejo que não estamos mais nua democracia, mas numa ditadura que teme cair com a chegada de um barco. Chama-se Women on Waves, esteve já em grande parte dos países contra o aborto que povoam a Europa mais conservadora. Em todos os países esteve alguns dias. Quem quis foi até ao barco para saber mais, para tratar de si, para infelizmente, abortar. Um processo complicado, triste e que não deixa nenhuam mulher indiferente.

Não sou a favor do aborto. Ninguém é. Quem é que quer passar a vida a passar por experiências traumáticas como é esta operação difícil. Ninguém. (Ok...os senhores do Direiro á VIda pensam ainda que as pessoas estão ansiosas que a lei passe para entrarem nas clínicas e todos os dias fazerem um aborto.)

Foi triste ver que o Governo, com barcos militares e tudo, se opôs a que este barco atracasse na Figueira da Foz. Ver que a ditadura das ideias de uns poucos tem que prevalecer sobre a verdeira opinião dos muitos (75% já disse querer que a despenalização seja um facto consumado). É triste ver o quão atrasados são os nosso políticos, que preferem ver crianças entregues a instituições mal tratadas, violadas e abandonadas...
publicado por Psyhawk às 17:28

Setembro 2004
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
11

15
18

20
24
25

26
27
30


subscrever feeds
mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

3 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO