Onde todos podem uivar o que quiserem... vejam por mim!

09
Jun 08

Esqueci-me de dizer: 1º dia de férias.

Tá calor, já fui à praia e finalmente tirei o ar deslavado. Viva o summer! (não entendo os novos tamanhos do programa do sapo e as letras do blog estão a sair cada vez mais estranhas! Já vou na terceira emenda. E farto vou beber um copo. Alguém quer acompanhar-me?)

publicado por Psyhawk às 22:41

Comprar casa tem piada...até se olhar bem para a carteira. Pois...eu olhei... e vi lá algumas teias de aranha, uma libélula que lá andava perdida e pó...muito pó.

Foi isso que senti quando andei pelas lojas de moveis e electrodomésticos na semana passada. Há medida que se aproxima o dia A (de assinatura) vou vendo o que preciso e o que realmente faz falta. Sim, porque com uma carteira pseudo vazia não pode haver grandes aventuras. Por muitas ofertas familiares que tenham havido (algumas bem interessantes) falta ainda muita coisa.

 

E montar uma casa é quase um desafio do género cubo mágico. Há coisa lindas mas que têm um preço medonho. Outras que também são maravilhosas, mas que têm um tamanho apenas disponível para mansões... o que não é o caso da minha casinha de bonecas. E claro...há as coisas absolutamente horripilates, baratas e que estão desde já vetadas do meu futuro apê!

 

Senhores...

O pior são as pessoas das lojas que subitamente se acham o decorador mais famoso do mundo, e se põem a dar palpites. É assustador. E acham que têm razão nas piores escolhas.

E riem-se de todas as parvoices que dizemos só para tentarem vender um cabide que seja. Dou por mim quase a bater em alguns dos empregados. Viva as férias que começaram hoje, porque caso contrário já havia alguém no hospital todo ligadinho! Mais alguém me sugere uma coisa de vime ou com cores que não lembram nem ao diabo e eu juro que ponho os meus tempos de adolescente rebelde em acção.

publicado por Psyhawk às 22:31

04
Jun 08

 

 

publicado por Psyhawk às 18:21

03
Jun 08

 

 

 

publicado por Psyhawk às 23:07

02
Jun 08

Eu já escrevi isto à uns posts abaixo, mas cada vez fico mais chocado.

No meio da maior crise financeira que este pais já atravessou- tachas de juro a dispararem, preços da gasolina pela hora da morte, um governo ineficaz, uma justiça cheia de buracos, com tudo a ficar cada vez mais caro- as atenções de todos, deste povo cego, viram-se quase hipnoticamente para o Europeu.

E tal como no antigamente- sim, no tempo do senhor Salazar que tinha aquele lema: Fátima, Futebol e Fado... lembram-se?- o povo esquece todos os dramas para se atirar de cabeça para ver os seus meninos queridos. Aqueles que ganham milhões e que se estão puramente a cagar para os problemas do pais, pois isso não os afecta, por muito que finjam que sim.

 

Não digo que os rapazes não tenham o seu mérito. Isso seria hipocrisia, e isso é coisa que este blog não tem. Mas o que me espanta é a atenção histérica que se lhes está a dar, quando deviamos estar concentrados em outras coisas. O exemplo fatal está a ser dado pelas televisões que no dia 1 de Junho- O dia da criança, lembram-se também?- passaram mais de metade do dia- senão mais- a darem o percurso dos craques de Lisboa até à Suiça.

Seguiram-se mil um directos- especialmente com o povo a falar do seu orgulho, da vontade de ver Portugal a ser falado lá fora e mais uma centa de outras parolices similares- sobre a reacção dos portugueses a viverem na Suiça sobre o que iam achar de lá terem os seus meninos.

 

Verdadeiramente vergonhoso.

Não quero dizer que fechemos os olhos a este acontecimento, mas torná-lo o centro das atenções numa altura como estas...

O governo vai esfregando as mãozinhas. 

Desde  30 de Maio que o pais esqueceu os seus dramas: Começou com o Rock in Rio, segue-se um mês de Euro, em simultâneo com as festas de Lisboa, seguem-se as férias e... só lá para Setembro Portugal vai acordar de mais um sono forçado e descobrir o que realmente aconteceu. E então poderá já ser tarde demais para a bolsa de muitos que se perderam a sonhar com o Europeu e outras patetices em vez de fazer este governo pagar pelas idiotices que tem feito.

Não me falem em orgulho de ser português e de por bandeiras em casa. Neste momento o orgulho devia estar de luto. Porque quando um pais deixa morrer quem pensa... morre toda a gente!

publicado por Psyhawk às 23:29

 

Não vale a apena falar dos problemas do Rock in Rio, até porque não há necessidade. As coisas tem melhorado de evento em evento e nota-se que a organização se esforça- ás vezes em vão- para que as coisas corram bem.

Este ano o medo da chuva também não ajudou às vendas que tenho a certeza seria muito superiores às que estão a ocorrer- apesar dos números serem impressonantes e de no primeiro dia se ter chegado, dizem uns, aos 100 mil...

(A verdade é que com excepção do dia da criança aquilo pareceu sempre lotado de gente. Xiça!)

 

But on with the show...

Eu tenho estado lá. Dia após dia e tenho visto do melhor e do pior.

Se o primeiro foi marcado pela desgraça chamada Amy Winehouse- 55 minutos atrasada, um performance vergonhosa e um aspecto de fazer medo ao susto- e por um Lenny Kravitz muito sensaborão, o segundo foi bastante melhor.

 

Para mim foi melhor porque finalmente e após 13 anos voltei a ver Bon-Jovi. Fã desde Slippery When Wet (ao terceiro CD... disco... estava conquistado) há muito que ansiava pelo regresso da banda a Portugal.

Até agora os meus anseios não tinham sido atendidos, até ao Rock in Rio (thanks cara Medina)

A banda está no seu melhor.

Apesar de ninguém ir para novo, e a voz de Jon Bon Jovi estar longe da performance de 1995, tudo o resto foi absolutamente sensacional. E só mesmo uma banda com os créditos dos Bon-Jovi para agarrar todo um recinto- cheio até deitar por fora- à segunda canção.

Mas também os rapazes não são parvos e sabem que a fórmula usada- algumas canções novas no meio de  muitos, mas mesmo muitos hits- ajudam a vender bilhetes e a colocar o público a cantar em uníssono (bastou ver I'll be There For You, Have a Nice Day, Always, You Give Love a Bad Name, It's My Life, Livin'on a Prayer...)  

Eu falo por mim que fiquei rouco.

Cantei canção após canção saltei,  gritei, assobiei...Brilhante, brilhante.

QUERO MAIS!

Para mim até agora o momento alto do RIR.

 

Mas não foi só.

Embora tenha a certeza que em espaços mais intimistas- Coliseu ou Pavilhão Atlântico- Joss Stone seja ainda melhor que num espaço tão aberto, a jovem encheu-me de curiosidade. Simples, bem disposta e com canções orelhudas, lá foi ela disparando hit atrás de hit- que já são mais do que duas mãos cheias- do seu R&B pausado, mas com frescura no ar. Aquela voz é um doce.

Quero vê-la outra vez

 

 

publicado por Psyhawk às 23:12

- Fazemos 10 horas de emissão de jogadores a irem para a Suiça

- Tentamos saber os mais pequenos pormenores dos craques da selecção

- Vamos ver todos os festivais de música existentes

- Fugimos de férias para o Algarve

 

E esquecemos

 

- Que o pais está na miséria

- Que o desemprego não para de aumentar

- Que a gasolina nunca esteve tão cara

- Que a justiça é mais lenta que um caracol

- Que somos gozados costantemente

 

Como se pode ver... são só razões para astear bandeiras nas nossas varandinhas

publicado por Psyhawk às 14:58

Junho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
13
14

15
17
19
20
21

22
23
24
26
27
28

29


subscrever feeds
mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

3 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO