Onde todos podem uivar o que quiserem... vejam por mim!

06
Out 05

Sempre, ou pelo menos, ou melhor que posso, respeito as vontade dos outros e as suas decisões. Não me meto com o que fazem, dizem, ou escolhem. Excepto quando mexe comigo. Ai o leão meio amançado, sai do esconderijo, transforme-se em tigre e lança-se num salto mortal.


Pois é o que acontece agora. Já fui atacado pelo que faço vezes e vezes sem conta sem mexer por ai além. Já me disseram mesmo que não escrevo, invento, sem nunca terem estado mais de cinco minutos ao meu lado a trabalhar. Mas na realidade nada sabem o que faço, quanto trabalho dá, e o que é fazer jornalismo cor de rosa. Sim, faço-o e com orgulho. Porquê??????????????


Uns, que nem quero referir nomes, só porque se dão com aqueles que chutam à bola, acham que fazem o mundo girar, que tem a profissão mais nobre do mundo e que no fundo, são perfeitos.


Estou-me a borrifar se estão no Público, no Record ou no raio que os parta. O que sei é que fazem a mesma merda que todos os outros, só que tem medo de admitir, porque sentir-se-iam menores só por isso. Escarafuncham na vida de quem joga à bola e mais nada. Para na maior parte das vezes ecsreverem mentira atrás de mentira. Ou seja o mesmo que nós. Porque é das dúvidas que vem muitas vezes as certezas. Porque é dos erros que chegam as verdades. No fim, fazemos todos a mesma merda. A única diferença é que uns tem a humildade de saber que na realidade jornalismo é tudo a mesma coisa, enquanto que outros acham que chegaram ao topo do mundo só porque o Cristiano Ronaldo já lhes deu 5 minutos de atenção.


Por favor, acordem para a realidade.


É tudo o mesmo.Na realidade é cor de rosa, só que sem a cor.... porque o resto está lá tudo.

publicado por Psyhawk às 21:18

3 comentários:
Sabes, até ia escrever a defender-te. Porque se tenho nojo desse tipo de publicação, admito que haja quem goste, e se há mercado...enfim, os menos culpados são os que ganham a vida com a(s) fraqueza(s) dos outros. Se elogiei a Paula foi porque, acima de tudo, sei que não tem vocação para esse tipo de publicação. E a coerência e inteligência são virtudes tão escassas que têm de ser apreciados quando nos cruzamos com elas. Ela não tem vocação para o cor-de-rosa como eu não tenho. Se tu tens, bem, não sei porque nunca li. Admito-o sem problemas porque "desconfio" que também nunca me leste. Tudo bem.

Mas é precisamente porque não conheces o meu trabalho que não tens o direito de o criticar. Felizmente, há quem o leia, o reconheça, e elogie publicamente. Sobretudo desde que comecei a fazer aquilo que mais gosto: grande reportagem.

Finalmente, se estás frustrado com alguma coisa e apetece-te barafustar, então ao menos faz o favor de o dizer cara a cara. Ah, e com menos erros ortográficos.



carlos mariano
</a>
(mailto:cmariano@record.pt)
Anónimo a 7 de Outubro de 2005 às 17:29