Onde todos podem uivar o que quiserem... vejam por mim!

11
Abr 05
Estamos numa de discutir coisas sérias. É a altura ideal para mudar alguns hábitos dos portugueses e algumas leis. A Holanda é um bom exemplo de uma nação que viu diminuir o número de toxicodependentes e o consumo de drogas duras. Tudo porque abriu as suas leis e tornou legal o consumo das drogas leves.... aquilo que em Portugal se designa por charrito.
Afinal porque condenamos o consumo deste estupfaciente quando outros, como o álcool e o tabaco aplaudimos? É tão viciante o primeiro como os seguintes. E não está provado que o consumo de um charrito em festas, de vez em quando, leve ao consumo de drogas pesadas... é apenas uma ligação leva por seu lado ao quê? Á ingestão de álcool etílico?
Acho que em todos os meus 30 anos apenas consumi drogas, umas 3 ou 4 vezes... e há mais de 10 anos e todos os que vi, que o fizeram, coisas leves falamos, não degeneraram em figuras horripilantes e em viciados loucos. Tornaram-se pessoas normais.

Sei que esta é uma discussão que vai levar muito tempo a chegar ao parlamento, embora muitos já falem sobre ela. Mas não custa por o povo a discutir...
publicado por Psyhawk às 13:27

3 comentários:
Sinceramente, numa altura em que a maior parte do mundo civilizado caminha, a passos seguros, para a probição do tabaco, seria um grande pasdso atrás liberalizar as drogas leves. E o que são drogas leves? Haxixe e outros canabinóides?
Não estamos a falar de drogas sintéticas, pois não? Espero bem que não.
E há uma diferença das drogas ditas leves e o alcool que, consumido com moderação, tem benefícios provados, especialmente nos caso do vinho tinto e grande parte das cervejas.
Quanto aos canabinoides como a Marijuana, muito se tem escrito acerca do seu carácter medicinal, mas utilizar uma droga com fins farmacêutico(propósito original da esmagadora maioria destas substâncias) não quer dizer, em circunstância alguma que sejam liberalizadas. Quanto a dizer que reduz o consumo, é falso. Dizer que retiraria os proveitos dos traficantes é uma hipocrisia e uma desresponsabilização do Estado. Não tenho nada contra o consumo episódico de canabis nem digo que leve ao consumo de outras drogas. Mas também digo que não conheço nenhum toxicodependente que não tenha, numa fase inicial, consumido "haxe". Ou melhor: não conheço ninguém (mesmo sabendo que há sempre excepções que confirmam a regra) que tenha começado o consumo de drogas pela cocaína ou pela heroína.

Em suma, liberalização não! Carlos Mariano
</a>
(mailto:cmariano@record.pt)
Anónimo a 11 de Abril de 2005 às 20:32

Liberalizar ou Não liberalizar as drogas leves?

No meu entender e no entender de muitos Portugueses achamos que tudo é uma verdadeira hipocrisia. Todos sabemos que existe drogas nas prisões, pois fala-se em redução e minimização de riscos, mas essas drogas são ilegais (cocaína e heroína)

Bem tudo isto é muito ESTRANHO.

Porquê?

Muitas pessoas conseguem determinados estatutos a custa destas questões, mas o estranho é que não se resolve nada, pois ninguém politicamente tem coragem para assumir uma verdadeira posição sobre este assunto. Isto é para todos os políticos sem excepção.

Em Portugal temos o IDT (Instituto da Droga e Toxicodependência), que no campo da prevenção se limita a agradar algumas pessoas e enpalhaçar nas poucas coisas que faz. Mas frutos, resultados, nem por telescópio.

Drogas são substâncias que actuam no Sistema Nervoso Central levando a que o consumidor possa fazer consumos duros ou leves.
Assim,... pode ser mais perigoso o álcool (consequência: cirrose hepática) ou tabaco (consequência: cancro do pulmão) do que o consumo pontual de erva ou haxixe.

Mas porque isso acontece? Porque esta legislação punitiva para algumas drogas?
-Interesses económicos (talvez)
-Para dar trabalho a parasitas (talvez)
-Para criar mais cargos políticos (talvez)
-Bem tanta coisa se podia dizer,...

O que propunha,...
UMA POSIÇÂO FIRME E FUNDAMENTADA

Eu não sou consumidor, mas se fosse não entenderia porque um toxicodependente pode consumir na prisão e alguém que seja um trabalhador honesto não possa consumir uns charros de vez em quando,...

MARQUEM POSIÇÃO PARA SEREM ESCLARECIDOS POR QUEM TEM ESSA RESPONSABILIDADE.

Evite: a palhaçada

PS: Obrigado pela oportunidade de participar neste tema, os fóruns permitem a possibilidade de sermos mais honestos nas nossas ideologias.
Anónimo a 18 de Junho de 2009 às 19:04

Boas... Descobri este blogue e depois de ler fiquei com vontade de comentar...
portanto, tenho 25 anos e comecei a fumar haxixe com 18 anos.
Desde essa altura ate aos dias de hoje confesso que a minha quantidade de consumos aumentou muito. Fumo muito mais agora do que quando comecei. No entendo sou frequentador de festas e todo tipo de coisas e nunca consumi outro tipo de drogas, conheco muitas pessoas que usaram outro tipo de drogas e ficaram agarradas. No entanto sou exemplo que não são as drogas leves que implicam o consumo de outras drogas mais pesadas. Isso parte da mentalidade de da informação que passa e portugal. Porque comprar cannabis a Cocaina, MD, cogumelos...? etc. Não tem logica esse fundamento. Todas sáo diferentes e com efeitos completamente diferente. A mim as drogas leves não me alteram a forma de pensar e agir, não conheço ninguem k parta tudo com drogas leves. Conheço pessoas que se beberem uns copos de whisky ficam fora de si, ficam agressivos, estupidos, etc. se pegam num carro sao um perigo, e gente que consome drogas leves pega num carro de forma normal e melhor... não se chateia com o carro do lado que esta a por tudo em perigo que se calhar ate bebeu uns whiskys. Eu sou a favor da liberação das droga leves. Diminuiria muito o consumo de drogas pesadas ou pelo menos ajudaria a não aparecer novos consumidores de drogas duras. Porque haveria muito mais informação dos tipos de drogas, e sendo liberalizada acabaria com os grandes traficantes em portugal. Se portugal investi-se na plantação já que somos dos melhores agricultores do mundo. o preço sendo acessivel faria com que os traficantes não conseguisem vender seus produtos porque ninguem ia querer comprar caro. Será que um traficantes venderia 1g de erva por 5€? Ñ. Portugal só teria a lucrar, faria contros de plantação e entraria muito dinheiro nos cofres do estado... neste caso vemos traficantes a enriquecerem e o nosso pais sempre a afundar na crise. Holanda é mesmo um dos exemplos a seguir... acham que eles vão proibir o consumo alguma vez? nunca! É o ponto maior do turismo lá, senão houvesse lá drogas, acredito que ninguem lá iria de certeza. Os nossos politicos que abram os olhos e mudem portugal pra melhor. Sou a favor da liberalização... se um dia houver referendo eu voto sim com certeza.
Anonimo a 3 de Fevereiro de 2013 às 16:38